ANÁLISE DA COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA DO PARQUE URBANO BOSQUE DO SUDOESTE

  • Mikaela Soares Silva Cardoso
  • Ângela Pereira Bussinguer

Resumo

O Parque Urbano Bosque do Sudoeste foi criado pela Lei 2.360 de abril de 1999, localiza-se na Região Administrativa RA XXII do Distrito Federal e possui uma extensão de 70 mil metros quadrados. A área destinada ao parque foi totalmente desmatada e, por muitos anos, utilizada como depósito irregular de resíduos da construção civil. O parque passou a funcionar efetivamente apenas em 2013, quando recursos oriundos de compensação ambiental foram aplicados na revitalização do local. Atualmente o parque conta com boa infraestrutura e é bastante utilizado pela população. Observa-se, entretanto, que poucas áreas no “Bosque do Sudoeste” encontram-se, de fato, arborizadas. O objetivo principal do artigo foi realizar um inventário florístico, com o intuito de identificar os indivíduos com Circunferência ao Nível do solo (CNS) igual ou maior que 2 centímetros. Ao todo foram identificadas 46 espécies e 18 famílias botânicas. A família Fabaceae apresentou maior riqueza (14 espécies). A recomposição da vegetação no parque Bosque tem sido realizada predominantemente com espécies arbóreas do bioma Cerrado. Apenas 3 espécies não são nativas, sendo que Eucalyptus grandis e Leucaena leucocephala são invasoras. Os plantios para a recomposição da flora do parque trouxeram benefícios ambientais, entretanto, grandes áreas do parque ainda necessitam de arborização.

Publicado
2018-12-20
Seção
IX Simpósio Nacional de Ciência e Meio Ambiente – SNCMA