RECURSOS HÍDRICOS DA CIDADE DE RIALMA-GO E O MANEJO INADEQUADO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL

  • Charles Lourenço Bastos
  • Érica de Lima Silva
  • Hueverton Cardoso Sousa
  • Matheus Olímpio Guimarães
Palavras-chave: Construção Civil, Recursos Hídricos, Resíduos Sólidos

Resumo

O consumo desenfreado da população e a intensificação da necessidade de produtos e serviços fazem com que a ação humana interfira no meio ambiente, como o descarte inadequado dos resíduos sólidos da construção civil. A legislação brasileira dispõe de políticas a respeito da destinação destes resíduos, mas na prática o que se percebe não é o cumprimento destas leis. Na cidade de Rialma-Goiás, os resíduos sólidos da construção civil são frequentemente lançados ao solo sem qualquer tratamento, degradando o meio ambiente e colocando em risco fauna, flora e a comunidade Rialmense. A poluição no meio atinge indiretamente a saúde da população interiorana que vive a mercê de lixões, causa danos aos lençóis freáticos e por consequência os recursos hídricos. É morosa a proposta de implantar, em consórcio com outros municípios, um aterro sanitário com destinação adequada. Quer-se dar visibilidade à situação atual no sentido de estimar os danos causados ao meio ambiente no que se refere principalmente às águas devido ao descarte inadequado destes resíduos sólidos, demonstrando a indiferença da população e apontando possibilidades de tratamento dos resíduos sólidos da construção civil de modo a reduzir possíveis danos causados aos recursos hídricos.

Referências

ANGULO, Sérgio Cirelli; ZORDAN, Sérgio Edurado; JOHN, Vanderley Moacyr. Desenvolvimento sustentável e a Reciclagem de resíduos na construção civil. PCC - Departamento Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica.
Atlas Brasil. Rialma, GO. Disponível em: http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/rialma_go. Acesso em: 13 set. 2018.
BRASIL. CONGRESSO NACIONAL. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Política Nacional de Residuos Sólidos; altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998 e dá outras providências. Brasília, 2010. 22p. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/ 2010/Lei/ L12305.htm. Acesso em 7 ago. 2018.
FERNANDES, Cintra Neemias. DETERMINAÇÃO DO ÍNDICE DE QUALIDADE DA ÁGUA TRATADA DISTRIBUÍDA AOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DE GOIÁS. Universidade Federal de Goiás-PPGEMA. Goiânia – Goiás. 2013.
IBGE. Rialma-Goiás/Brasil. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/go/rialma/panorama. Acesso em 12 set. 2018.
IBGE - Biblioteca. Rio das Almas. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=440164. Acesso em 12 set. 2018.
II Seminário de Desenvolvimento Sustentável da Bacia Hidrográfica do Alto Tocantins. Região Hidrográfica: Tocantins Araguaia. Disponível em: http://tocantinsaraguaia.blogspot.com/2008/06/ mapa-da-bacia-hidrogrfica-do-alto.html. Acesso em 14 set. 2018.
IZARIAS, Nilma Silvania; BARBOSA, Bárbara Izarias; IZARIAS, Maria Rosa; MONTEIRO, Vilma França. Implantação da Política Nacional dos Resíduos Sólidos no Norte Goiano. Ciência e Natura v.38 n.1, p. 243 – 253, 2016.
JACOBI, Pedro Roberto; BESEN, Gina Rispah. Gestão de residuos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. Estudos Avançados, 2011.
SECIMA. Dados de Vazão. Disponível em: http://www.secima.go.gov.br/post/ver/207958/dados-de-vazao. Acesso em 21 ago. 2018.
SOUZA, José Carlos Moreira de; GONÇALVES, Lenicio; SOARES, Ana Maria Dantas. A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA RECUPERAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE RECURSOS NATURAIS: a percepção de assentados rurais no cerrado goiano. CAMPO-TERRITÓRIO: revista de geografia agrária, v. 6, n. 11, p. 312-337, fev. 2011.
Publicado
2018-12-20
Seção
IX Simpósio Nacional de Ciência e Meio Ambiente – SNCMA