OCORRÊNCIA DAS ACANTHACEAES NA MICRORREGIÃO DE CERES, GO

  • Rogério Celestino de Oliveira
  • Josiel Araújo Lemes
  • Paulo Henrique de Oliveira
  • Josana de Castro Peixoto
Palavras-chave: Cerrado, conservação, Goiás

Resumo

A família Acanthaceae abrange aproximadamente 200 gêneros e 3.500 espécies, distribuídas amplamente em regiões tropicais e alcançando algumas regiões temperadas, ocorre tanto em áreas abertas quanto florestais (sub-bosque e lugares úmidos). A Microrregião de Ceres no estado de Goiás possui áreas florestadas de Cerrado. Com o objetivo de realizar o inventário florístico fanerogâmico da região foi coletado espécimes da família Acanthaceae, foram identificados até o presente momento cinco gêneros, Aphelandra, Ruellia, Lepidagathis, Justicia, Nelsonia, distribuídos em doze espécies, Aphelandra longiflora, Ruellia costata, Lepidagathis alopecuroidea, Ruellia jussieuoides, Lepidagathis floribunda, Ruellia costata, Justicia goudotii, Ruellia elegans, Nelsonia canescens, Ruellia adenocalyx, Ruellia nitens, Justicia lanstyakii, entretanto a espécie Ruellia elegans Poir., merece atenção cuja ocorrência não havia sido constatada em outras coletas anteriores mediante à Flora do Estado de Goiás. O presente trabalho é apenas o início de um processo de análise sobre um gênero que é encontrado em ampla diversidade nos Cerrados de Goiás. Serão ainda necessários a realização de ensaios biológicos para avaliar se os componentes encontrados nos óleos essenciais das espécies de Justicia apresentam atividades farmacológicas, genotóxica e citotóxica.

Referências

AGUIAR, L.M.S.; MACHADO, R.B.; MARINHO-FILHO, J. A Diversidade Biológica do Cerrado. In: AGUIAR, L.M.S.; CAMARGO, A.J.A. (Org.) Cerrado: ecologia e caracterização. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados; Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, p. 17- 40, 2004.
ALMEIDA, S. P.; PROENÇA, C.E.B.; SANO, S.M.; RIBEIRO, J.F. Cerrado: espécies vegetais úteis. Planaltina: Embrapa-CPAC, 464 p.,1998.
CALIXTO, J.S.; RIBEIRO, A.E.M. O Cerrado como fonte de plantas medicinais para uso dos moradores de comunidades tradicionais do alto Jequitinhonha, MG. In: II Encontro nacional de Pós graduação em Ambiente e Sociedade, Indaiatuba, 2004.
CORTÊS, A. L. A. Justicieae (Acanthaceae) do Bioma Caatinga do Estado da Bahia. Dissertação de Mestrado. 142f. Programa de Pós graduação em Botânica. Universidade Estadual de Feira de Santana, BA, 2009.
Dias, B.F.S. 1994. A conservação da natureza. In: Cerrado: caracterização, ocupação e perspectivas. M.N. Pinto (org.). 2a edição, Editora Universidade de Brasília, Brasília-DF. Pp. 607-663. Eva, H.D., E.E.
FIDELIS, A.T.; GODOY, S.A.P. Estrutura de um Cerrado stricto sensu na gleba cerrado Pé-de-gigante, Santa Rita do Passa Quatro, SP. Acta Botânica Brasílica. v. 17, n.4, p.531-539, 2003.
FELFILI, J. M.; REZENDE, R. P. Conceitos e métodos em fitossociologia. Comunicações Técnicas Florestais, v. 5, n. 1. Brasília: Universidade de Brasília, Departamento de Engenharia Florestal, 2003. 68p.
FELFILI, J. M.; SILVA-JÚNIOR, M. C.; REZENDE, A. V.; NOGUEIRA, P. E.; WALTER, B. M. T.; SILVA, M. A.; ENCIÑAS, J. I. Comparação florística e fitossociológica do cerrado nas chapadas Pratinha e dos Veadeiros. In: LEITE, L.; SAITO, C. H. (eds.). Contribuição ao conhecimento ecológico do cerrado. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1997. p. 6-11
FERREIRA, L. C. G.; DEUS, J. B. O Uso do Território e as Redes na Microrregião de Ceres (GO): O Caso das Agroindústrias Sucroalcooleiras. B. goiano. geogr., v. 30, n. 2, p. 67-80, Jul./dez. 2010.
FERREIRA, I. M.; MENDES, E. P. P. In: XIX Encontro Nacional de Geografia Agrária (Anais), São Paulo, 2009.
Graham, L.1990.32d. Phylum Chlorophyta, class charophyceae, orders chlorikybales, klebsormidiales, Coleochaetales. In L. Margulis et al. (eds.), Handbook of Protoctista: 636-640.
HENDERSON, A., STEVENSON. D. W., HEALD, S. V. Flowering plants of the neotropics. p. 3- 7. Princeton University Press, The New York Botanical Garden, 2004.
HEYWOOD, V. H. Flowering plants of the world.London: Croom Helm, 1985. LAWRENCE, G.H.M. Taxonomia das Plantas Vasculares. Tradução de M.S. Telles Antunes. Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa. v.2, 1951.
KAMEYAMA, C. 1995. Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais: Acanthaceae. Bol. Botânica, Univ. de S. Paulo, v.14:181-206.
KLINK, Carlos. A Conservação do Cerrado Brasileiro. Revista Megadiversidade. Volume n°1, Julho de 2005. Disponível em: Acesso em: 22 de maio 2016.
MENDONÇA, R. C.; FELFI LI, J. M.; WALTER, B. M. T.; SILVA JÚNIOR, M. C.; REZENDE, A. V.; FILGUEIRAS, T. S. & NOGUEIRA, P. E. 1998. Flora Vascular do Cerrado. Pp. 289-556. In: S. M. Sano & S. P. Almeida (eds). Cerrado: ambiente e fl ora. Planaltina, EMBRAPA-CPAC.
MYERS, N. et al. Biodiversity hotspots for conservation priorities. Nature, London, v. 403, p. 853-858, 2000.
MYERS, N.; MITTERMEIER, R.A.; MITTERMEIER, C.G.; FONSECA, G.A.B.; KENTS, J. Biodiversity hotspot for conservation priorities. Nature, London, v. 403, p. 853- 858, 2000.
Publicado
2018-12-20
Seção
IX Simpósio Nacional de Ciência e Meio Ambiente – SNCMA