ESTUDO DA QUALIDADE DA ÁGUA NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIBEIRÃO VAI-E-VEM, ESTADO DE SÃO PAULO, BRASIL

  • Carmen Maura Rocha
  • Renata Ribeiro de Araújo
  • Antonio Cezar Leal
Palavras-chave: Ribeirão Vai-e-Vem, Qualidade da água, Uso e cobertura da terra

Resumo

A realização deste trabalho teve como objetivo analisar a qualidade da água de um canal fluvial e o uso e a cobertura da terra na bacia hidrográfica do Ribeirão Vai-e-Vem, localizada no município de Santo Anastácio - SP. Foram estudados os resultados de variáveis limnológicas, referentes à seção localizada nas coordenadas 22º03’38”S e 51º42’15”W, disponibilizados pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) para o ano de 2017. Construiu-se o mapa de uso e cobertura da terra da bacia hidrográfica por meio do software ArcGIS. A análise do uso e cobertura da terra na área de drenagem contribuinte para a seção monitorada permitiu verificar que a qualidade da água é influenciada por fontes pontuais e difusas. Altas concentrações de substâncias no corpo hídrico, como fósforo total, por exemplo, podem ser consequências destas fontes, como exemplo despejos de efluentes domésticos e/ou industriais ou até mesmo do uso de defensivos agrícolas, utilizados próximos ao curso de água.

Referências

AMARAL, L. A. do et al. Água de consumo humano como fator de risco à saúde em propriedades rurais. Rev saúde pública, v. 4, n. 37, p. 510-514, 2003.

BRAGA, B. et. al. Introdução à Engenharia Ambiental. 2 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

BRASIL EM RELEVO. Brasil em relevo - São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 31 ago. 2018.

Brasil. (17 de mar. de 2005). Resolução CONAMA nº 357, de 17 de mar. de 2005. Acesso em 25 de set. de 2018, disponível em Resolução CONAMA nº 357: http://www2.mma.gov.br/port/conama/res/res05/res35705.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de controle da qualidade da água para técnicos que trabalham em ETAS / Ministério da Saúde, Fundação Nacional de Saúde. – Brasília : Funasa, 2014.

BUZELLI, G. M.; CUNHA-SANTINO, M. B. Análise e diagnóstico da qualidade da água e estado trófico do reservatório de Barra Bonita (SP). Ambi-Agua, Taubaté, v. 8, n. 1, p. 186-205, 2013.

DANELUZ, Débora; TESSARO, Dinéia. Padrão físico-químico e microbiológico da água de nascentes e poços rasos de propriedades rurais da região sudoeste do paraná. Arquivos do instituto biológico, São Paulo, v. 82, p. 1-5, 2015.

GARCEZ, Lucas Nogueira; ALVAREZ, Guillermo Acosta. Hidrologia. 2 ed. Edgard Blücher Ltda., 1988.

IBGE, Departamento De Recursos Naturais E Estudos Ambientais. Manuais técnicos em geociências: Manual técnico do uso da terra. Rio de Janeiro: IBGE, 1999.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA - IBGE. Malhas digitais. Disponível em: . Acesso em: 31 ago. 2018.

LIBÂNIO, Marcelo. Fundamentos de qualidade e tratamento de água. 3 ed. Campinas: Editora Átomo, 2005.

MOTA, Suetônio. Introdução à engenharia ambiental. 3 ed. Rio de Janeiro: ABES - Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, 2003. 416 p.

OLIVEIRA, V. I. et al. Avaliação de contaminação por escherichia coli em amostras de água de lagoa. IBEAS – Instituto brasileiro de estudos ambientais, 2011.

PORTAL DA QUALIDADE DAS ÁGUAS. Indicadores de qualidade - índice de qualidade das águas (IQA). Disponível em: . Acesso em: 28 fev. 2018.

SAMPAIO, Bruna Dienifer Souza. Pagamento por serviços ambientais nas propriedades rurais do alto curso da bacia do Ribeirão Vai-e-Vem, município de Santo Anastácio (SP). Monografia (Monografia em Geografia). Presidente Prudente. 2015.

SPERLING, Marcos Von. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 3 ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

VILLELA, Swami Marcondes; MATTOS, Arthur. Hidrologia aplicada. McGraw-Hill do Brasil Ltda., 1975.
Publicado
2018-12-20
Seção
IX Simpósio Nacional de Ciência e Meio Ambiente – SNCMA