AVALIAÇÃO DA ACESSIBILIDADE ARQUITETÔNICA E ESPACIAL EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE ANÁPOLIS – GOIÁS

  • Vanice Fernandes de Araújo Alvarenga
  • Samara Lamounier Santana Pereira
Palavras-chave: Acessibilidade arquitetônica e Espacial, Inclusion. Escolas

Resumo

Por considerar a acessibilidade um fator determinante no processo de inclusão para alunos com deficiência, este painel têm como objetivo, apresentar um diagnóstico preliminar da acessibilidade arquitetônica e espacial em unidades escolares de ensino fundamental no município de Anápolis - Goiás, que foram construídas ou reformadas entre os anos de 2013 e 2017. Um estudo descritivo, quantitativo e transversal, conduzido em dois momentos através de pesquisa bibliográfica e estudo de campo. Foram identificadas 8 escolas municipais, construídas ou reformadas nesse período. Os resultados mesmo que preliminares, indicam ausências ou inadequação de itens importantes para composição de ambientes acessíveis nessas unidades, apontam dificuldades para inclusão dos alunos com deficiência, levando-nos a refletir sobre o processo inclusivo e a necessidade de rever conceitos e práticas sobre a ótica da acessibilidade nas escolas.

Referências

BRASIL. Decreto Legislativo nº 5.296 de 2 de Dezembro de 2004. Disponível em:. Acesso em: 10 dez. 2017.
BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Especial, 2008.
BRASIL. Censo Escolar de 2017. INEP/MEC. 2017. Disponível em: BRASIL. Censo Escolar de 2015. INEP/MEC. 2015. Disponível em: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9050: Acessibilidade de pessoas portadoras de deficiência a edificações, espaço, mobiliário e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro: ABNT, 2004.
ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, aprovada pela Assembléia Geral da ONU em dezembro de 2006. Disponível em Acesso em 20 de Nov.de 2017.
World Health Organization, The World Bank/ Relatório mundial sobre a deficiência ; tradução Lexicus Serviços Lingüísticos. - São Paulo: SEDPcD, 2012.http://www.fonoaudiologia.org.br/publicacoes/relatoriomundial.pdf Acesso em: 20 de Set.de 2018.
BENVEGNÚ, E. M. Acessibilidade espacial: requisito para uma escola inclusiva: estudo de caso – escolas municipais de Florianópolis. 2009 [...]. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.
CARVALHO, Telma Cristina Pichioli de: Arquitetura escolar inclusiva: construindo espaços para educação infantil. Tese (Doutorado). Universidade de São Paulo, São Carlos, 2008.
DISCHINGER, Marta. Designing for all Senses: Accessible spaces for visually impaired citizens. Chalmers University of Technology. Goteborg: 2000.
DISCHINGER, Marta; BINS ELY; Vera Helena Moro; BORGES, Monna Michelle Faleiros da Cunha. Manual de acessibilidade espacial para escolas: o direito à escola acessível. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2009.
DISCHINGER, Marta: Promovendo acessibilidade espacial nos edifícios públicos: Programa de Acessibilidade às Pessoas com Deficiência ou Mobilidade Reduzida nas Edificações de Uso Público / Marta Dischinger, Vera Helena Moro Bins Ely, Sonia Maria Demeda Groisman Piardi. – Florianópolis : MPSC, 2012.
KOWALTOWSKI, D. Arquitetura escolar: o projeto do ambiente de ensino. 1. ed. São Paulo, SP: Oficina de Textos, 2011.
MACHADO, Rosângela. Acessibilidade arquitetônica. In: CAROLINA, R, Schirmer et. al. Atendimento educacional especializado: deficiência física. São Paulo: MEC/SEESP, 2007.
MARINS, Cristiane, Fanhani; MATSUKURA, Simões, Thelma: Avaliações de Politicas Públicas: A inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais no ensino fundamental das cidades-pólo do estado de são Paulo, SP: 2009.
Padilha, Caio Augusto Toledo, 1988- P134e PadEducação e inclusão no Brasil (1985-2010) / Caio Augusto Toledo Padilha. – Campinas, SP, 2014.
TEIXEIRA, V. P. P. Acessibilidade como fator de equiparação de oportunidades para pessoas com deficiência na escola : análise de garantias legais em países da América Latina.
Publicado
2018-12-20
Seção
IX Simpósio Nacional de Ciência e Meio Ambiente – SNCMA