ANÁLISE LIMNOLÓGICA E A EXPANSÃO DA CANA-DE-AÇÚCAR EM UMA SUB-BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO SANTO ANASTÁCIO, PIQUEROBI/SP.

  • Mariana Ribeiro Fernandes
  • Renata Ribeiro de Araújo
  • Maria Cristina Rizk
  • Aline Aparecida dos Santos
  • Paulo César Rocha
Palavras-chave: Limnologia, Cana-de-açúcar, Rio Santo Anastácio, Pontal do Paranapanema

Resumo

A cana-de-açúcar é uma monocultura implantada na região do Pontal do Paranapanema/SP e que vem aumentando gradativamente ao longo do tempo, ocupando o entorno de canais fluviais das bacias hidrográficas. Diante disso, essa pesquisa teve como objetivo realizar uma análise das relações entre variáveis limnológicas com a cobertura da terra em uma seção amostral situada em uma sub-bacia hidrográfica no Rio Santo Anastácio, no município de Piquerobi/SP. O pH, temperatura da água, condutividade elétrica, Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO), fósforo total, amônia, oxigênio dissolvido, sólido dissolvido total e sólido total foram as variáveis limnológicas analisadas e os valores analisados foram extraídos do banco de dados da CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) para os anos de 2002, 2007, 2013 e 2016. Os dados foram analisados por meio de uma Análise de Componentes Principais (ACP). Foram utilizadas imagens do Shuttle Radar Topography Mission (SRTM) para delimitar as áreas de drenagem para a seção amostral, por meio de vetorização de polígonos. Para extração das informações acerca da distribuição da cana-de-açúcar na região para o recorte temporal, foi utilizado o mapeamento temático produzido por diversos pesquisadores do CETAS (Centro de Estudos do Trabalho, Ambiente e Saúde) na escala 1:250.000. Os resultados indicaram que em anos com menores quantidades de cana houve carga maior de nutrientes dissolvidos nas águas. Por outro lado, quando aumentaram as áreas com cana, os resultados demonstraram que houveram maiores valores de material em suspensão total.

Referências

ARROIO JUNIOR, Paulo Ponce; ARAÚJO, Renata Ribeiro de; SOUZA, Ariane de. Monitoramento da Qualidade da Água no Manancial do Rio Santo Anastácio. Colloquium Exactarum, Presidente Prudente, v. 3, n. 1, p.10-17, jun, 2011.
AZEVEDO, F.A., CHASIN, A.A.M. As Bases Toxicológicas da Ecotoxicologia. Rima e Intertox, São Carlos e São Paulo, 2003.
BARRETO, M. J., THOMAZ JUNIOR, A. Os impactos territoriais da monocultura da cana-de-açúcar no Pontal do Paranapanema – SP. Revista Pegada, Presidente Prudente, v. 13, n. 2, p. 46-68, 2012.
BRUNINI, R. G., SILVA, M. C., PISSARA, T. C. T. Efeito do Sistema de Produção de Cana-de-Açúcar na Qualidade da Água em Bacias Hidrográficas. Revista Agrarian,Dourados, n.36, v.10, p. 170-180,2017.
CBH-PP – Comitê da Bacia Hidrográfica do Pontal do Paranapanema. Caracterização: características gerais da UGRH-22. Presidente Prudente, 2018.
CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo). Águas Interiores - Publicações e Relatórios. Disponível em . Acesso em 15/08/2018.
GAUCH, H. G. Multivariate analysis in community ecology. Cambridge: Cambridge University Press, p. 298, 1994.

JACKSON, D. Stopping rules in principal component analysis: a comparison of euristical and statistical approaches. Ecology, v. 74, p. 2204-2214, 1993.

KIANG, C.H., SOTO, M. A., BASSO, J. B. A cultura da cana-de-açúcar à luz da sustentabilidade. Capítulo 14. 1. ed. Canal 6, 2017, 275 p. Bauru, SP. E-book. ISBN 978-85-7917-421-6. Cana-de-açúcar e seus impactos: uma visão acadêmica. Organizadores: Carmem Silvia Fontanetti e Odair Correa Bueno, UNESP, Instituto de Biociências, Câmpus de Rio Claro. Disponívelem.Acessoem 11/09/2018.
MATTHIENSEN, A. et al. Monitoramento e Diagnóstico de Qualidade de Água Superficial. Programa de Capacitação em Gestão da Água, Projeto TSGA – Tecnologias Sociais para a Gestão da Água. Centro Tecnológico, Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental, UFSC, Florianópolis, SC, pp. 107-116, 2014.
PETTS, G. & FOSTER, I. Rivers and landscape. The Athenaeum Press, 3 ed., New Castle, Great Britain,1990
ROCHA, P. C., TOMMASELLI, J. T. G. Variabilidade Hidrológica nas Bacias dos Rios Aguapeí e Peixe, Região Oeste Paulista. Revista Brasileira de Climatologia, v. 10, p. 69-84, Ano 8, 2012. TUNDISI, J. G. Água no século XXI. Enfrentando a escassez. São Carlos: Rima Editora, 2003. 248p.
TUNDISI, J. G., MATSUMURA-TUNDISI, T. Limnologia. São Paulo: Oficina de Textos, 2008.
VANNOTE, R.L., MINSHALL, G.W., CUMMINS, K.W., SEDELL, J.R., CUSHING, C.E., The river continuum concept. Can. J. Fish. Aquat. Sci., vol.37. p. 130-137, 1980.
VAZHEMIN, I.G. Chemical composition of natural waters in the VYG river basin in relation to the soil of Central Karelia. Soviet Soil Science, Silver Spring, v.4, n.1, p.90-101, 1972.
WARD, J.V. The Four Dimensional Natures of Lotic Ecosystems. Journal of the North American Benthological Society, 8: 2-8, 1989.
WETZEL, R. G. Limnology: lake and river ecosystems. 3. ed. California: Academic Press, 2001.
Publicado
2018-12-20
Seção
IX Simpósio Nacional de Ciência e Meio Ambiente – SNCMA