RELAÇÃO ENTRE A DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA E A FUNÇÃO MUSCULAR ESQUELÉTICA

  • Augusto Graziani e Sousa
  • Guilherme Henrique Iaccino Borges
  • Igor Mundim Zendron
  • Juliana Malta Moreira
  • Nathália Costa Coelho Braga
  • Henrique Poletti Zani
Palavras-chave: DPOC. Músculo esquelético. Disfunção. Fisiopatologia.

Resumo

A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) possui várias consequências, sendo uma das mais importantes a depreciação da atividade muscular esquelética. O presente trabalho visa compreender então como a DPOC afeta essa musculatura e discorrer sobre algumas possíveis maneiras de minimizar esses efeitos. A metodologia utilizada foi a pesquisa nas bases de dados Scielo, PubMed e Google Acadêmico de artigos científicos originais e revisões de literatura elaborados entre os anos de 2014 e 2018. Os resultados indicam alto índice de atrofia, principalmente pela via miostatina, afetando expressivamente a morfologia das fibras, além de um notório estresse oxidativo e diâmetro reduzido das fibras, o que interfere em sua capacidade de contração. Com isso, conclui-se que a DPOC atua na disfunção do músculo esquelético através de vários mecanismos, os quais tem consequências severas que, possivelmente, podem ser tratadas com atividades físicas regulares e algumas substancias farmacológicas.

Referências

GOSKER, Harry R. et al. Skeletal muscle dysfunction in chronic obstructive pulmonary disease and chronic heart failure: underlying mechanisms and therapy perspectives – The American journal of clinical nutrition, v. 71, n. 5, p. 1033-1047, 2014.
POMIES, Pascal et al. Reduced myotube diameter, atrophic signalling and elevated oxidative stress in cultured satellite cells from COPD patients. Journal of cellular and molecular medicine, v. 19, n. 1, p. 175-186, 2015.
BARREIRO, Esther; JAITOVICH, Ariel. Muscle atrophy in chronic obstructive pulmonary disease: molecular basis and potential therapeutic targets. Journal of thoracic disease, v. 10, n. Suppl 12, p. S1415, 2018.
SIMOES, Davina CM; VOGIATZIS, Ioannis. Can muscle protein metabolism be specifically targeted by exercise training in COPD?. Journal of thoracic disease, v. 10, n. Suppl 12, p. S1367, 2018.
QI, Yong et al. Inhibition of AMPK expression in skeletal muscle by systemic inflammation in COPD rats. Respiratory research, v. 15, n. 1, p. 156, 2014.
SOCIEDADE BRASILEIRA DE PNEUMOLOGIA E TISIOLOGIA: II Consenso Brasileiro sobre Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). Caracterização da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) - Definição, Epidemiologia, Diagnóstico e Estadiamento. J Bras Pneumol. 30(5):10-4, 2004.
GOLD. Global Strategy for the Diagnosis, Management and Prevention of COPD, Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease (GOLD) 2016 [Internet]. 2016. Available from: http://goldcopd.org.
FERREIRA, Dulce Sofia Antunes. Alterações fisiológicas e funcionais na pessoa com DPOC, em fase de agudização, após a implementação de exercícios ativos resistidos dos membros superiores. 2014. Tese de Doutorado.
BAUMANN, Cory W. et al. Age-induced oxidative stress: how does it influence skeletal muscle quantity and quality?. Journal of Applied Physiology, v. 121, n. 5, p. 1047-1052, 2016.
TRENDELENBURG, Anne Ulrike et al. Myostatin reduces Akt/TORC1/p70S6K signaling, inhibiting myoblast differentiation and myotube size. American Journal of Physiology-Cell Physiology, v. 296, n. 6, p. C1258-C1270, 2009.
Publicado
2018-12-27
Seção
XV Mostra de Saúde - 10 anos do Curso de Medicina