INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NA MEDICINA

  • Ana Vitória Braga
  • Alane Franco Lins
  • Lucas Souza Soares
  • Lygia Gomes Fleury
  • Júlia Cândido Carvalho
  • Renata Silva do Prado
Palavras-chave: Inteligência artificial. Saúde. Diagnóstico. Prognóstico. Tratamento.

Resumo

A inteligência artificial (IA) é um campo da ciência da computação que imita os processos de pensamento humano, a capacidade de aprendizagem e o armazenamento de conhecimento. Atualmente, a medicina tem utilizado a IA para aprimorar o diagnóstico, prognóstico e tratamento em diversas de suas áreas, como na neurologia, oncologia, cardiologia e dermatologia. Revelando, dessa forma, muitos benefícios para a saúde humana quando se trata de possibilitar uma maior precisão nas previsões da evolução da doença, na manutenção do desempenho dos tratamentos  e nos menores riscos para o paciente. Esse trabalho teve como objetivo reunir artigos, os quais foram buscados no banco de dados PubMed, demonstrando o uso da inteligência artificial em diversos ramos da medicina e, assim, demonstrar que o Machine learning (ML- aprendizado de máquina) fornece um caminho para melhorar a precisão e a confiabilidade das modalidades diagnósticas e tem o potencial de contribuir significativamente para alcançar o objetivo da medicina de precisão.

Referências

POEDJIASTOETI W.; SUEBNUKARN S. Application of Convolutional Neural Network in the Diagnosis of Jaw Tumors. Healthc Inform Res, v. 24, n.3, p. 236-241, 2018.
TACCHELLA A., et. al. Collaboration between a human group and artificial intelligence can improve prediction of multiple sclerosis course: a proof-of-principle study. F1000Researc, v.6, p. 2172, 2017.
GORGIEVA S., et. al. Textile-based biomaterials for surgical applications. Woodhead Publishing, 2018.
OLSEN G. A., et. al. Diagnostic performance of deep learning algorithms applied to three common diagnoses in dermatopathology. Journal of Pathology Informatics, v.9, n.1, p. 32, 2018.
SILVERMAN G. B. The Initial Failure of Artificial Intelligence in Medicine (AIM), the Rise of the Grand Challenge, and a New Role for AIM. National Science Foundation Workshop, 1997.
LOBO C. L. Inteligência artificial, o Futuro da Medicina e a Educação Médica. Revista Brasileira de Educação Médica, v.42, n.3, p. 3-8, 2018.
ZELLWEGER M. J., et. al. A new non-invasive diagnostic tool in coronary artery disease: artificial intelligence as an essential element of predictive, preventive, and personalized medicine. The EPMA Journal, v.9, n.3, p. 235-247, 2018.
STUCKEY D. T.M et. al. Cardiac Phase Space Tomography: A novel method of assessing coronary artery disease utilizing machine learning. Plos One, v. 13, n. 8, 2018.
PICCOLO D., et. al. Dermoscopic diagnosis by a trained clinician vs. a clinician with minimal dermoscopy training vs. computer‐aided diagnosis of 341 pigmented skin lesions: a comparative study. British Journal of Dermatology, v. 147, n. 3, p. 481-486, 2002.
Publicado
2018-12-28
Seção
XV Mostra de Saúde - 10 anos do Curso de Medicina