FATORES BIOPSICOSSOCIAIS ASSOCIADOS À DEPRESSÃO GERIÁTRICA

  • Radmila Ferreira Monteiro
  • Raphael Helvécio Carvalho de Oliveira Diniz
  • Letícia de Souza Galvão
  • Isabelle Helena Lobão
  • Gabriela Freitas da Silveira
  • Claudinei Sousa Lima
Palavras-chave: Depressão geriátrica. Transtorno depressivo. Diagnóstico tardio.

Resumo

A depressão geriátrica é uma enfermidade multifatorial e de grande incidência. Ainda assim, é possível constatar uma desvalorização e, por consequência, um subdiagnóstico dessa doença. Nesse ínterim, dar atenção ao tema com a investigação dos fatores associados à depressão na terceira idade é essencial para a mudança do quadro não promissor atual. À vista disso, o trabalho tem como objetivo descrever os fatores biológicos, psicológicos e sociais associados ao processo de desenvolvimento e agravo da depressão geriátrica. Trata-se de um resumo expandido realizado a partir das bases PubMed, ScienceDirect, Redalyc, Elsevier, Ovid e Cochrane, sendo selecionados 12 artigos entre 2016 e 2018 que se adequaram ao tema e descritores. O resultado encontrado consistiuem que, geralmente, idosos depressivos apresentavam o perfil de serem do sexo feminino, de baixa escolaridade, com baixos níveis de vitamina D corporais, hábitos de vida que envolvam a ingestão de bebida alcoólica, fumo e sedentarismo, além de traumas na infância, viverem sozinhos ou em asilos e outros transtornos fisiológicos. Dessa forma, conclui-se que o entendimento dos diversos fatores associados à depressão na terceira idade auxilia no combate à subvalorização da comorbidade.

Referências

BRAGA, MV. Suicídio Assistido Reflexões sobre legalidade, o idoso e sua autonomia. Revista Portal de Divulgação, n.57, 2018
GRONNING, K et al. Psychological distress in elderlypeopleis associatedwith diet, wellbeing, health status, social support and physical functioning- a HUNT3 study. BMC Geriatrics, v.18, n.205, 2018.
GROSSBERG, GT et al. Rapid depression assessment in geriatric patients. Clin Geriatr Med. v. 33, p. 383-39, 2017.
GUTHS, JFS et al. Perfil sociodemográfico, aspectos familiares, percepção de saúde, capacidade funcional e depressão em idosos institucionalizados no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, Brasil. Rev. bras. geriatr. gerontol., Rio de Janeiro, v. 20, n. 2, p. 175-185, 2017.
HARTMANN, JAS et al. Hope as a behavior and cognitive process: A new clinical strategy about mental health'sprevention. Medicine, v. 97, n.36, 2018.
HE, J et al. Factor structure of the Geriatric Depression Scaleand measure mentinvariance across gender among Chinese elders. JournalofAffectiveDisorders, v. 238, p.136-141, 2018.
MAGALHÃES, JM et al. Depressão em idosos na estratégia saúde da família: uma contribuição para a atenção primária. Revista Mineira de Enfermagem. v. 20.
MCCUSKER, J et al. Six-monthtrajectoriesof self-reporteddepressivesymptoms in long-termcare. InternationalPsychogeriatrics, v. 28, p.71-81, 2016.
NOVELO, M et al. Effects of childhood multiplemaltreatment experiences on depression of socioeconomic disadvantage edelderly in Brazil. Child Abuse&Neglect, v. 79, p.350-357, 2018.
RANJAN, R et al. Neuropsychological deficits in elderly with depression. Ind Psychiatry J, v. 26, n.2, p.178-182, 2017.
TORRES, JL et al. Depressive symptoms, emotional support and activities of daily living disability onset: 15-year follow-up ofthe Bambuí (Brazil) Cohort Study of Aging. Cad Saude Publica, v.34, n.7, 2018.
YAO Y et al. The prevalence of depressive symptoms in Chinese longevous persons and its correlation with vitamin D status. BMC Geriatrics, v.18, n.198, 2018.
Publicado
2018-12-28
Seção
XV Mostra de Saúde - 10 anos do Curso de Medicina