AS CONSEQUÊNCIAS FISIOLÓGICAS E PSICOSSOCIAIS DA OBESIDADE INFATIL

  • André Lucas Seixas Macalão
  • Edson Jose Pereira Junior
  • João Manoel Palmeira Ferrato Gomes
  • Mikaela Martins Ribeiro
  • Mikaela Martins Ribeiro
  • Paola Souza Manzi
  • Erasmo Eustáquio Cozac
Palavras-chave: Obesidade pediátrica. Síndromes metabólicas. Doenças respiratórias. Manifestações neurocomportamentais.

Resumo

A obesidade infantil é considerada um problema de saúde pública mundial pela OMS. Trata-se de uma doença multifatorial, que envolve distúrbios metabólicos, genéticos, ambientais e socioeconômicos. Tem-se como objetivo estabelecer relações diretas e indiretas entre a obesidade infantil e suas diversas implicações, tanto no âmbito fisiológico quanto no âmbito psicossocial. O presente trabalho trata-se de um resumo expandido, utilizando os artigos mais recentes coletados em plataformas como Scielo e PubMed que fazem relações entre a obesidade e suas diversas implicações. O período de busca dessa pesquisa foi entre 2014 e 2018. Encontrou-se como resultado que as crianças obesas são muito mais propensas a desenvolver várias doenças, como dislipidemias, diabetes tipo 2, depressão, entre outras, fazendo-se necessário intervenções o mais rápido possível. Conclui-se, portanto, que a obesidade infantil é responsável por múltiplas consequências negativas, tanto sociais quanto físicas, na vida de milhões de crianças.

Referências

DEEB, et al. Dyslipidemia and Fatty Liver Disease in Over weight and Obese Children, Journal of Obesity, vol. 2018, Article ID 8626818, 6 pages, 2018.
ESCRIVÃO, Maria Arlete. Obesidade exógena na infância e na adolescência. Jornal de Pediatria. Rio de Janeiro, abr. 2000.
ENES, Carla Cristina. Obesidade na adolescência e seus principais fatores determinantes. Jornal Brasileiro de Epidemiologia. São Paulo, jan.2010.
FERREIRAetal.TheRelationshipBetweenPhysicalFunctionalCapacitandLungFunctioninObeseChildrenandadolescents.BMC Pulmonary Medicine. Campinas. nov. 2014
NETTO-OLIVEIRA, Edna Regina. Sobrepeso e obesidade em crianças em diferentes níveis econômicos. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desenvolvimento Humano. Maringá, jun.2010.
PAN et al. Psychological assessment of children and adolescents with obesity. Journal Of Internatinoal Medical Research. Los Angeles,Out. 2018
PONT et al. Stigma Experienced by Childrean Adolescents With Obesity. American Academy Of Pediatrics. New York, dez. 2017.
PULGARON, et al. Obesityand Type 2 Diabetes in Children: Epidemiology and Treatment. Current Diabetes Reports. New York, ago. 2014.
Publicado
2018-12-28
Seção
XV Mostra de Saúde - 10 anos do Curso de Medicina