A RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA INTEGRADA AO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ANÁPOLIS-UNIEVANGÉLICA: APERFEIÇOANDO A PRÁTICA DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA, TENDO COMO NORTEADOR A NOVA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR

  • Cláudia Regina Major
  • Graziela Vanessa Parreira
  • Simone de Paula Rodrigues Moura
  • Libna Lemos Ignácio Pereira

Resumo

O Programa Residência Pedagógica integra a Política Nacional de Formação de Professores e tem como objetivo implementar projetos inovadores que estimulem articulação entre teoria e prática nos cursos de licenciatura, promovendo a imersão do licenciando na escola de educação básica. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Capes, por meio do edital nº 6/2018, tornou pública a seleção de Instituições de Ensino Superior interessadas em implementar Projetos Institucionais de Residência Pedagógica. O Curso de Pedagogia do Centro Universitário de Anápolis foi um dos cursos contemplados na aprovação do seu projeto institucional que objetiva aperfeiçoar a prática de professores de Ensino Fundamental, etapa básica da educação, de forma a dinamizar o processo formativo em sua relação teoria-prática tendo como norteador a Nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC), buscando realizar um acompanhamento individualizado e está sendo realizado em duas escolas municipais, sendo estas: Manoel Gonçalves da Cruz e Professora Nadyr de Souza Andrade, localizadas na Cidade de Anápolis. Cada escola abarca vinte quatro acadêmicos do curso, sendo estes denominados “residentes”, que, por sua vez, é acompanhado por um professor efetivo da escola, chamado de “preceptor” e por dois docentes orientadores e um coordenador institucional. O projeto tem duração de 18 meses, tendo seu início em agosto de 2018 e término em janeiro de 2020, perfazendo 440 horas e consta de três etapas: formação/ambientação, imersão e regência. Durante a primeira etapa, o residente frequentou a escola-campo observando turmas de 1º ao 5º ano  e  coletando dados durante o turno em que o preceptor atua como  professor regente, com propósito de identificar as maiores necessidades institucionais para elaborar um projeto que vise a implementação das dez competências definidas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Além destas ações, o residente, fez análise da realidade do espaço educativo, materiais pedagógicos   disponíveis    e    utilizados    na    prática    pedagógica    realizada na escola, e e análise do projeto político pedagógico da escola. No final do mês de novembro de 2018, todos os envolvidos no programa, deverão apresentar relatórios parciais, folhas de frequências e o projeto que cada escola executará juntamente com seus preceptores e residentes para o ano de 2019. As etapas subsequentes serão cumpridas a partir de janeiro de 2019 e cada residente, com base no conhecimento construído, na primeira etapa, deverão aplicar um plano individual, que tenha alinhamento com o projeto institucional  de o de intervenção afim de melhorar a escola campo, levando estes residentes à reflexão da prática docente, pois de acordo com SILVA (2011) a reflexão sobre a prática docente é fundamental para evidenciar as problemáticas existentes na escola-campo viabilizando uma análise da realidade. Até aqui percebemos o engajamento das residentes durante a ambientação e em contrapartida a receptividade das instituições em receber o projeto. Ambas as instituições apresentaram como demanda para o projeto de intervenção um trabalho que, além de ser articulado com a BNCC, possibilite uma ação destinada, sobretudo, aos alunos que se apresentam com dificuldades para o acompanhamento do processo de ensino-aprendizagem dando ênfase maior as áreas de Língua Portuguesa e Matemática.

Publicado
2019-01-03
Seção
V Mostra Científica do Curso Pedagogia