SÍNDROME METABÓLICA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES: REVISÃO DE LITERATURA

  • Fabiana Furlan
  • Gracielle Taís Silva
  • Isabella Cristina do Couto
  • Isabella Souza Nunes
  • João Vitor Rossi
  • Letícia Silvestre Angelim
  • Lívia Ferreira Alves
  • José Luis Rodrigues Martins
  • Rodrigo Franco de Oliveira

Resumo

Introdução: A síndrome metabólica (SM) é definida como um grupo de fatores de risco que podem diretamente contribuir para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e/ou diabetes do tipo 2. O índice de SM vem aumentando, com ênfase, em crianças e adolescentes devido às práticas do cotidiano desses indivíduos, caracterizados pela má alimentação, pouca prática de exercícios físicos, longos períodos à frente da televisão, computadores, celular, etc., que são traços marcantes da sociedade atual e que contribui para o sobrepeso e à obesidade, fatores predisponentes à SM. Objetivo: Realizar uma revisão bibliográfica acerca da SM e a obesidade em crianças e adolescentes, levando em consideração critérios de avaliação e fatores que contribuem para o acometimento da síndrome. Métodos: Foi realizado uma pesquisa bibliográfica de natureza qualitativa, utilizando os descritores: “Síndrome metabólica”, “Obesidade”, “Doença cardiovascular”, “Diabetes Mellitus”, “Crianças” e “Adolescentes” de forma isolada e combinada na língua portuguesa e inglesa, nos motores de busca PubMed, SciELO, PEDro, MEDLINE e LILACS, publicados de 2007 à 2018. O levantamento dos artigos, foi realizado por meio eletrônico na biblioteca central do Centro Universitário de Anápolis – UniEvangélica, em Março/Abril de 2018. Foram inclusos 11 artigos publicados que apresentavam os descritores no resumo, possuíam relação ao tema, incluíam a SM em crianças e adolescentes e exclusos 13 artigos que fugiam do período estabelecido, do tema proposto, que não abordavam a SM em crianças e adolescentes ou abordavam condutas que não apresentavam significância para o presente trabalho. Resultados: A obesidade e o sobrepeso são tidos como fatores que acarretam doenças como a hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus e dislipidemia que aumentam o risco cardiovascular, esses fatores cada vez mais frequentes fazem parte do grupo de risco para desenvolvimento da SM. As crianças e adolescentes no cenário atual da sociedade, se tornam alvos mais favoráveis ao desenvolvimento da SM. A principal forma tratamento é a perca de peso desses indivíduos acometidos, alcançada através de mudanças nos hábitos alimentares, integração da prática de exercícios físicos regulares, que para além do tratamento pode ser usado para prevenção e promoção da saúde dos indivíduos propensos à doença. Conclusão: Evidenciou-se que apesar da SM ser um problema de saúde crescente entre as crianças e adolescentes, ainda não há definição oficial dos critérios com valores específicos para crianças e adolescentes, houve apenas uma adequação da avaliação adulta para a pediátrica.

Publicado
2019-01-02
Seção
XV Mostra Acadêmica do Curso Fisioterapia