FISIOTERAPIA E O USO DE TERAPIAS DA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

  • Ademar Leite de Andrade Filho
  • Ana Caroline Prado Cândido
  • Isabella Coelho de Almeida
  • Edmara Campos Rocha Pereira
  • Larissa Koth Balbino
  • Kelly Cristina Borges Tacon

Resumo

Introdução: A OMS utiliza o termo Medicina Tradicional para se referir às práticas médicas originárias da cultura de cada país. Esse termo significa um conjunto diversificado de ações terapêuticas que difere da biomedicina ocidental que incluem práticas manuais e espirituais, com ervas, partes animais e minerais, sem uso de medicamentos quimicamente purificados (acupuntura, reiki, florais, quiropraxia, Auriculoterapia, ventosaterapia), atividades corporais (tai chi chuan, yoga, lian gong). Dentre as inúmeras técnicas que integram as práticas integrativas e complementares da MTC, destaca-se nesse trabalho a atuação do fisioterapeuta na especialidade acupuntura e na utilização de técnicas ventosaterapia e auriculoterapia que podem ser utilizadas em diversas áreas da fisioterapia. Objetivo: Descrever atuação do fisioterapeuta especialista em acupuntura e evidenciar a prática das técnicas da ventosaterapia e auriculoterapia dentro da prática clínica. Métodos: Foram utilizados os uni termos fisioterapia, ventosaterapia, acupuntura e auriculoterapia, para levantamento bibliográfico dentro da base de dados Scielo. Posteriormente foi realizada uma entrevista com profissional da área, a fim de elencar a as principais contribuições da prática da medicina tradicional chinesa na saúde holística do indivíduo.  Resultados: A partir dos resultados obtidos pelo levantamento bibliográfico observou-se que tanto os métodos ventosaterapia, auriculoterapia e a especialidade acupuntura possuem diversas publicações elencando seus benefícios porem falta uma comprovação científica mais apurada sobre seus efeitos fisiológicos que são visualmente perceptíveis e comprovados.  Através da entrevista realizada com profissional da área foi evidenciado A ventosaterapia e a auriculoterapia destina-se a um curso de capacitação que não exige uma graduação, a todos os interessados (sem necessidade de conhecimento prévio ou ser da área da saúde), terapeutas, enfermeiros, veterinários, fisioterapeutas, esteticistas, massoterapeutas, entre outros. Já a acupuntura estabelece uma especialização de acordo com as resoluções do COFFITO, deve cumprir uma carga horária de 1.200 horas em um período mínimo de integralização de dois anos e ainda prestar a prova de especialidade, rege a especialização ao profissional fisioterapeuta, porém pode-se integrar a outros profissionais da saúde. Conclusão: O presente estudo ressalta a importância do fisioterapeuta nesta área de atuação, visto a abrangência de métodos e técnicas utilizados na medicina tradicional chinesa que cada vem ganhando espaço no ocidente, porem faz-se uma ressalva em relação a comprovação de seus efeitos fisiológicos que precisam ser melhor investigados.

Publicado
2019-01-08
Seção
XV Mostra Acadêmica do Curso Fisioterapia