PREVALÊNCIA DE SÍFILIS CONGÊNITA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE ANÁPOLIS

  • Eduarda Vianna Guimarães Balestra
  • Gabriel Ventura Machado Amaral
  • Lorena Torres Magalhães
  • Marcos Cândido Junqueira Filho
  • Pedro Wilson Xavier Teixeira
  • Erasmo Eustáquio Cozac
Palavras-chave: Sífilis. Sífilis congênita. Santa Casa de Misericórdia de Anápolis.

Resumo

A sífilis é uma doença infecciosa de caráter sistêmico, passível de prevenção e que, quando não tratada precocemente, pode evoluir para um quadro crônico com sequelas irreversíveis. É transmitida por via sexual e vertical, raramente via transfusão sanguínea. A sífilis congênita corresponde à infecção do feto pelo Treponema pallidum, sendo transmitida por via transplacentária em qualquer momento da gestação, independentemente do estágio clínico da doença na gestante. A infecção pode causar consequências graves para o concepto: aborto, óbito fetal e sequelas motoras, cognitivas, neurológicas, visuais e auditivas. A transmissão vertical é sabidamente evitável, desde que a gestante seja precocemente diagnosticada e adequadamente tratada. Em Anápolis, existe uma alta prevalência de sífilis, portanto, é de se esperar que, devido a isso, exista um número alto de casos de sífilis congênita na cidade. Diante disso, esse trabalho tem como objetivo correlacionar a alta prevalência de sífilis em Anápolis com o possível aumento do número de casos de sífilis congênita na Santa Casa de Misericórdia de Anápolis. Para tanto, será observado o perfil da gestante, em relação a faixa etária, nível de escolaridade, realização ou não de pré-natal e diagnóstico durante a gravidez ou pós-parto e adesão ao tratamento. Este será um estudo longitudinal, descritivo e de natureza qualiquantitativa. Dessa forma, espera-se encontrar um aumento significativo de casos de sífilis congênita, relacionado a alta prevalência de sífilis na cidade de Anápolis. Ainda, pretende-se associar a prática ineficaz do pré-natal e/ou o diagnóstico tardio de sífilis na gestante com o aumento da prevalência de sífilis congênita. Por fim, espera-se conseguir avaliar a eficácia do tratamento e sua relação com a diminuição dos casos de sífilis congênita.

Publicado
2018-12-28
Seção
XV Mostra de Saúde - 10 anos do Curso de Medicina