AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICOS E DE ROTULAGEM DE ÁGUAS MINERAIS COMERCIALIZADAS NO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS-GOIÁS

  • Bruna Neta de Souza
  • Rafaela Xavier de Assis
  • Janaina Andrea Moscatto
Palavras-chave: Qualidade de águas. Águas para consumo. Segurança alimentar

Resumo

Água mineral é considerada um produto de alto consumo universal. Assim, é necessário o monitoramento de parâmetros que garantam a continuidade de produção, venda e qualidade desses produtos. As águas minerais estão nas chamadas “águas próprias para o consumo” e pela RDC nº 274/2005 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) são as obtidas diretamente de fontes naturais ou por extração de águas subterrâneas, caracterizadas por conteúdo definido e constante de determinados sais minerais, oligoelementos e outros constituintes, considerando as flutuações naturais. Esta legislação, junto com a RDC 275/2005, do mesmo órgão, definem a identidade e qualidade deste produto. Considerando este contexto, o objetivo deste trabalho foi avaliar parâmetros físico-químicos e de rotulagem de sete marcas de águas minerais comercializadas em Anápolis – GO. As sete marcas (três unidades de 500mL cada) foram obtidas no mercado local e guiadas com suas embalagens originais para o Laboratório de Análises de Alimentos da UNIEVANGÉLICA, onde foram realizadas as análises. Cada amostra foi analisada quanto aos itens de rotulagem definidas na RDC nº54/2013, RDC nº360/2003 e Lei nº 7.841/1945 e os parâmetros físico-químicos: pH, sólidos totais secos, cloretos, amônia, sulfatos, alcalinidade total, dureza, turbidez e substâncias oxidáveis. Os rótulos das sete amostras apresentaram-se de acordo. O rótulo de produtos tem por finalidade a orientação e informação do consumidor, assim deve ser de fácil entendimento. Além de orientar o consumidor, a rotulagem ajuda a evitar fraudes e auxilia na rastreabilidade de produção. Nas avaliações físico-químicas, apenas uma amostra apresentou-se em desacordo no parâmetro de substâncias oxidáveis. Os valores obtidos variaram de: pH de 5,04 a 7,13 (4 a 10); sólidos totais secos de 0,015mg/L a 0,239mg/L (até 1000mg/L); cloretos 12,90mg/L a 39,70mg/L (<250mg); amônia ausente em todas as marcas analisadas; dureza de 40,42mg/L a 145,84mg/L (<500mg/L),; turbidez de 0,0NTU a 0,52NTU e substâncias oxidáveis 1,15mg/L a 2,55mg/L (2,0mg/L). As análises físico-químicas têm por finalidade evidenciar a qualidade dos produtos, sendo pontos chave neste produto, demonstrar a potabilidade e origem dessas águas As análises realizadas neste trabalho demonstraram que das sete marcas selecionadas, apenas uma marca apresentou-se em desacordo em um dos parâmetros analisados, demonstrando que o envase e a comercialização destes produtos estão seguindo, de forma geral, as recomendações de Boas Práticas. Contudo, para a garantia completa de segurança para o consumo, serão necessárias as análises microbiológicas indicadas pela legislação vigente. 

Publicado
2019-01-02
Seção
XII Simpósio em Estudos Farmacêuticos