AVALIACÃO DA SEVERIDADE DA ANEMIA DE ACORDO COM A DOSAGEM DE HEMOGLOBINA DO HEMOGRAMA COMPLETO

  • Aline Sinzervinch De Oliveira
  • Ana Maria Santos De Lima
  • Laurenzo Vicentini Pais Mendonça
  • Kelly Deyse Segati
Palavras-chave: Sangue. Técnicas de laboratório clínico. Eritrócitos.

Resumo

A hemoglobina é uma proteína com característica esferoide e globular presente nas hemácias com função de troca gasosa de 02 dos pulmões para os tecidos e de CO2 dos tecidos para os pulmões. A anemia é uma patologia caracterizada pela diminuição de hemoglobina (Hb) presente nos eritrócitos, podendo apresentar valores abaixo de 12,0 g/dL para mulheres e de 13,0 g/dL para homens. As principais causas estão voltadas para deficiência de vitamina B12, ácido fólico e ferropenia. O objetivo foi realizar a classificação da severidade da anemia de acordo com as dosagens de hemoglobina obtidas através dos laudos de hemograma completo do Laboratório de Análises Clínicas do Centro Universitário de Anápolis – UniEVANGÉLICA no ano de 2017. Este estudo trata-se de um estudo retrospectivo de caráter longitudinal, no qual foram analisados laudos de hemograma completo de 2023 pacientes atendidos pelo SUS na cidade de Anápolis – Goiás – Brasil, realizado no Laboratório de Análises Clinicas da UniEVANGÉLICA, no ano de 2017. Os dados foram coletados a partir da ficha de cadastro do laboratório e do arquivo de laudos pelo sistema interno (SISLAC), em seguida realizou-se a transcrição dos resultados para uma tabela no formato Excel. O trabalho teve aprovação no comitê de ética em pesquisa da instituição UniEVANGÉLICA sob protocolo de número: 2.675.303/2018. Para a análise da severidade da anemia utilizou-se a os critérios da World Health Organization em 2017. No desenvolvimento deste estudo, separaram-se os pacientes em seis grupos: crianças com faixa etária de 6 meses a 4 anos de idade; crianças de 5 a 11 anos; crianças de 12 a 14 anos; mulheres com idade superior a 15 anos, homens com idade acima de 15 anos. A partir destes, realizou-se uma comparação entre as concentrações de hemoglobina com o grau de severidade das anemias, podendo ser classificada em leve, moderada e severa. Na primeira amostra composta por 80 crianças com idade de seis meses a quatro anos, houve ausência de anemia severa, dentre estes achados, duas crianças (2,5%) tiveram anemia moderada, oito anemia (10%) leve e 70 destas não apresentaram anemia. Em outra análise realizada com 154 crianças de faixa etária de 5 a 11 anos de idade, 153 (99,4%) destas não apresentaram anemia severa e nem moderada, sendo uma (0,6%) paciente com anemia leve. O próximo grupo foi composto por 80 pessoas com idade de 12 a 14 anos, destes, 75 não demostraram ter anemia e cinco tiveram anemia leve (6,3%). A amostra seguinte analisada corresponde a um total de 1053 mulheres acima de 15 anos de idade, destes 126 mostraram uma maior prevalência em anemia leve (11,9%), 56 moderada (5,3%) e quatro anemias severas (0,4%). Em um total de 470 homens acima de 15 anos de idade, 429 não tinham anemia, sendo que 35 mostraram-se ter anemia leve (7,4%) e seis moderadas (1,3%). Os pacientes que desenvolveram anemia severa podem exibir sinais e sintomas quando a instalação for gradual. Diante o exposto, na população de estudada pode-se verificar a ocorrência de anemias leves e moderadas e severas.

Publicado
2019-01-02
Seção
XII Simpósio em Estudos Farmacêuticos