MORTE, EUTANÁSIA, ORTOTANÁSIA E DISTANÁSIA: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA.

  • Débora de Morais Barbosa
  • Diandra Karla Silva Damasceno
  • Francielle Adriana da Silva Belo
  • Hadassa Oliveira Carmo
  • Juliana Percília Rossy Gaudêncio
  • Mikaely Nunes Santos
  • Nara Rúbia Lemes
  • Cecília Magnabosco Melo
  • Viviane Lemos da Silva Fernandes
  • Ilana de Freitas Pinheiro
Palavras-chave: Eutanásia. Autonomia Pessoal. Ética.

Resumo

Introdução: Os sucessivos avanços tecnológicos contribuíram no processo saúde doença e influenciaram no modo como se vivencia a morte, resultando tanto em melhorias quanto no prolongamento injustificável da vida. Este trabalho teve como objetivo realizar uma revisão bibliográfica sobre a terminalidade da vida através das discussões dos conceitos eutanásia, distanásia e ortotanásia. Métodos: Tratou-se de uma revisão bibliográfica, que utilizou os seguintes motores de busca: Bireme, Scielo, Redalyc. Foram utilizados os descritores Eutanásia, autonomia pessoal, ética, individualmente e de forma combinada através do operador booleano “and”. Utilizou-se como critério de inclusão artigos em português publicados entre 2013 e 2017, escolha de 5 artigos que mais se adequaram ao tema proposto. Resultados: Foram encontrados 26 artigos. Destes foram escolhidos 5 artigos que mais se adequaram ao tema. Observou-se que em alguns países a prática de eutanásia não é permitida, já em outros a permitem baseado no princípio da autonomia a autodeterminação. Mostrou-se que a distanásia é vista pela área científica como algo inaceitável e a ortotanásia é bem aceita. Conclusão:  A morte deve ser encarada como um processo do ciclo vital do indivíduo e a família como um elemento cuidador na sociedade. As divergências quanto à conduta a ser adotada baseiam-se nas diferentes concepções acerca da morte entre profissionais de saúde e familiares do paciente, bem como da legislação.

Referências

FELIX, Z. C.; COSTA, S. F. G.; ALVES, A. M. P. M.; ANDRADE, C. G.; DUARTE, M. C. S.; BRITO, F. M. Eutanásia, distanásia e ortotanásia: revisão integrativa da literatura. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n.9, p. 2733-2746, 2013.

GODOI, B. S.; FILHO, G. S.; BIFANO, A. C. S.; CASTRO, N. R. Até que ponto vale manter a vida: o debate bioético sobre a boa morte. Anais VI SIMPAC, v. 6, n. 1, p. 135-142, 2014.

KOVÁCS, M. J. A caminho da morte com dignidade no século XXI. Revista Bioética, v. 22, n.1, p. 94-104, 2014.

SANTOS, D. A.; ALMEIDA, E. R. P.; SILVA, F. F.; ANDRADE, L. H. C.; AZEVÊDO, L. A.; NEVES, N. M. B. C. Reflexões bioéticas sobre a eutanásia a partir de caso paradigmático. Revista Bioética, v. 22, n. 2, p, 367-72, 2014.

XAVIER, M. S; MIZIARA, C. S. M. G; MIZIARA, I. D. Terminalidade da vida: questões éticas e religiosas sobre a ortotanásia. Saúde, Ética & Justiça, v.19, n. 1, p. 26-34, 2014.
Publicado
2019-01-09
Seção
XV Mostra Acadêmica do Curso Fisioterapia