ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ATENDIMENTO PRÉ-NATAL NA REDE SUS

UMA REVISÃO DA LITERATURA

  • Meillyne Alves dos REIS
  • Gabriel Faustino dos SANTOS
  • Sabrina de Paula SANTOS
Palavras-chave: Pré-natal. Cuidado de Enfermagem. Equipe de Cuidado de Saúde.

Resumo

INTRODUÇÃO: A experiência gestacional é um momento especial na vida de uma mulher, pois o nascimento de um filho é uma experiência única em sua vida. Por isso merece ser tratada de forma humanizada e integral, por profissionais capacitados e pela equipe multiprofissional, com o apoio dos gestores e do governo. O período pré-natal (PN) é uma época de preparação física e psicológica tanto para o parto quanto para a maternidade. Sendo o papel do enfermeiro extremamente importante neste período, pois suas contribuições refletem num melhor auxílio à comunidade e caracteriza-se como um momento de intenso aprendizado tanto para profissionais quanto para as pacientes. OBJETIVO: Descrever sobre a atuação do enfermeiro no atendimento pré-natal. METODOLOGIA: Revisão integrativa da literatura de artigos publicados na Biblioteca Virtual de Saúde (BVS) originais e disponíveis em texto completo nas bases de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Scientific Electronic Library Online (Scielo) e Base de Dados em Enfermagem (BDENF), no período entre 2005-2015, no idioma português. Para a análise dos dados adotou-se as recomendações de Mendes et al. (2008), que propõe seis passos para a elaboração de uma boa, eficaz, precisa e relevante revisão integrativa. RESULTADOS: Foram incluídos na revisão 15 artigos. Emergiram duas categorias: humanização no pré-natal e o acolhimento com escuta qualificada; e o enfermeiro como integrante da equipe multidisciplinar e agente fundamental na assistência PN. A humanização da assistência no PN é evidenciada na orientação, na comunicação ativa, sob a influência de conteúdos já previamente absorvidos pela gestante seja no seu contexto sociocultural ou até mesmo na rede familiar. As gestantes procuram dividir suas dúvidas com o profissional que as assisti, as experiências apreendidas e/ou vivenciadas que as mesmas consideram relevantes. Construindo assim, uma relação verdadeira entre profissionais e cliente, a fim de proporcionar o melhor estado de saúde e doença alicerçado na escuta qualificada e no cuidado. Os enfermeiros que executam as consultas de enfermagem nas unidades básicas de saúde (UBS), oferecem a adequada atenção profissional  à gestante,  para que esta se sinta acolhida. O enfermeiro pode utilizar um plano de ação que estimule a participação da gestante no PN, com base nas necessidades identificadas e priorizadas na consulta, estabelecendo as intervenções, orientações, e os encaminhamentos a serviços de referência, promovendo a interdisciplinaridade das ações, com a medicina, odontologia, nutrição, serviço social e psicologia. As ferramentas para tal são facilmente evidenciadas no uso da tecnologia leve e dura do cuidado. CONCLUSÃO: o acolhimento e a construção de laço é essencial para o saber fazer da equipe multiprofissional. A humanização no PN é essencial para a gestante, pois é um ambiente onde possibilita uma assistência integral e de qualidade para a saúde da mulher e de seu filho, criando um vínculo de confiança, conversa ativa e escuta qualificada e sem qualquer tipo de julgamento.

Publicado
2019-02-05
Seção
II Simpósio de Produção Científica do Curso de Enfermagem da UniEVANGÉLICA