PERCEPÇÃO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM SOBRE O PARTO HUMANIZADO

  • Meillyne Alves dos REIS
  • Artemizia Oliveira REIS
Palavras-chave: Parto humanizado. Humanização da assistência. Equipe de enfermagem. Cuidados de enfermagem.

Resumo

INTRODUÇÃO: O parto humanizado é entendido como um conjunto de recomendações que a Organização Mundial da Saúde adotou para promover o parto vaginal, o aleitamento materno, o alojamento conjunto, a presença de acompanhante, a redução intervencionismo tecnológico no progresso do parto, o estímulo às técnicas mecânicas de alívio à dor e ao  uso cauteloso de indução ao parto. O conceito de atenção humanizada é amplo e complexo, abrange vários conhecimentos, práticas e atitudes que visam a promoção do parto e o nascimento saudáveis, que contribui para a prevenção da morbi-mortalidade materna e perinatal. OBJETIVO: descrever a visão da equipe de enfermagem, quanto à aplicação das primícias do parto humanizado, em uma maternidade filantrópica na cidade de Anápolis-Go. METODOLOGIA: Trata-se de estudo exploratório, longitudinal, descritivo com abordagem qualitativa, realizado a partir de pesquisa de campo, no período de março a julho de 2016. O local de pesquisa foi o setor materno-infantil da Santa Casa de Misericórdia (instituição filantrópica credenciada ao Projeto Maternidade Segura e Parto Humanizado) no município de Anápolis-Goiás. Para a análise dos dados utilizou-se a técnica de análise de conteúdo de Bardin. RESULTADOS: amostra composta por 24 profissionais da equipe de enfermagem que trabalham no setor da maternidade e tem contato direto com as parturientes. A maioria das participantes apresentou  idade entre o intervalo maior ou igual a 21 anos e menor ou igual a 35 anos, declarou a cor parda, estado civil casada e ensino médio completo. A maioria das participantes exerce a função de técnica de enfermagem, seguido de enfermeiras e uma minoria auxiliar de enfermagem. O tempo de serviço na instituição prevaleceu o intervalo entre 2 e 12 anos. A maioria afirmaram não terem recebido treinamento para o desempenho de suas funções. Ocorreu equilíbrio entre o conhecimento ou não da Política do Parto Humanizado, entre os participantes do estudo. Especificamente, foram demarcadas duas grandes categorias, prestação de assistência no pré-parto e sala de parto e conhecimento e habilidade para o desempenho de suas funções. Cada uma delas com suas subcategorias, respectivamente o transcorrer do trabalho de parto e a assistência da equipe multiprofissional no momento do parto humanizado; e ausência de reconhecimento no desempenho de suas funções, ausência de treinamento e o desconhecimento das Políticas voltadas para o parto humanizado. CONCLUSÃO: a instituição está caminhando a passos lentos para efetiva implantação das políticas voltadas para o parto humanizado, ainda se faz necessário investimentos em estrutura física, recursos humanos, educação permanente e melhorias nos processo de comunicação entre a equipe multiprofissional.

Publicado
2019-01-07
Seção
II Simpósio de Produção Científica do Curso de Enfermagem da UniEVANGÉLICA