ANÁLISE DA PRESENÇA DE Cryptococcus neoformans EM EXCRETAS DE AVES NA PRAÇA BOM JESUS LOCALIZADA NA REGIÃO CENTRAL DA CIDADE DE ANÁPOLIS, GOIÁS

  • Amanda Christina Alves Costa
  • Diennyffer Lourranny Santana de Paula
  • Leandro Nascimento da Silva Rodrigues
Palavras-chave: Cryptococcus. Criptococose. Excretas.

Resumo

O Cryptococcus neoformans é um fungo patogênico de ampla distribuição geográfica, que apresenta forma oval encapsulada, pode ser encontrado em solo contaminado com excretas de aves, principalmente de pombos domésticos (Columba livia), é considerado o agente etiológico da criptococose. A Criptococose é uma infecção sistêmica, que geralmente acomete indivíduos imunocomprometidos. O contágio pode ocorrer após a inalação de propágulos/esporos do fungo resultando em infecção primária no sistema respiratório e em seguida se disseminar pela corrente sanguínea atingindo outros órgãos. Era uma doença de ocorrência rara, mas os casos confirmados têm aumentado progressivamente, com o surgimento da SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) na década de 1980, e o advento de terapias imunossupressoras, tornando-se atualmente uma doença de importância epidemiológica. Com a alta prevalência de aves em áreas urbanas, a alta concentração de C. neoformans em fezes de aves e a severidade da doença em seres humanos, é observado um crescente interesse no estudo da relação entre esses fatores. Sendo assim, o presente estudo tem como objetivo realizar análises qualitativas para identificar a presença de C. neoformans em excretas de aves, coletadas em uma praça localizada na região central da cidade de Anápolis, Goiás. Visto que as praças da cidade possuem uma grande quantidade de pombos é de suma importância verificar a ocorrência de contaminação das fezes destas aves presentes nas praças, por ser um local de lazer, sobretudo por causa de idosos e crianças que transitam no lugar. A metodologia adotada foi de caráter experimental analítico qualitativo. As amostras de fezes foram coletadas na Praça Bom Jesus da cidade de Anápolis, GO e analisadas no Laboratório de Microbiologia do Centro Universitário de Anápolis – UniEVANGÉLICA. As coletas foram realizadas durante o segundo semestre de 2018, com auxílio de máscara, luvas e frascos estéreis, em três lugares diferentes, com três amostras em cada local, totalizando nove amostras. As mesmas foram submetidas a diferentes testes, como cultivo em Ágar Sabouraud Dextrose, seguido do teste da Uréase e o teste confirmatório com Tinta Nanquim. Os resultados dos testes realizados até o presente momento não apresentaram nenhuma presença de C. neoformans em Ágar Sabouraud Dextrose e Uréase. Para indicar presença de C. neoformans Ágar Sabouraud é necessário encontrar a presença de colônias lisas, úmidas, brilhantes, de coloração creme a marrom. No entanto, não foi possível identificar a presença de colônias de C. neoformans nesse teste. O teste da Uréase para ser considerado positivo é necessário que ocorra uma viragem para a cor rosa ou vermelho. Não foi identificada nenhuma viragem de cor no teste, indicando ausência de C. neoformans nas amostras analisadas. O exame direto de tinta da china ou nanquim ainda não foi realizado. Para resultado positivo, espera-se encontrar presença de células oval ou redondas nas lâminas. O presente trabalho ainda se encontra em andamento, mas espera-se que ao ser finalizado, os resultados sejam todos negativos, para que as pessoas que transitam no local diariamente, não estejam correndo o risco de contrair a doença.

Publicado
2019-01-03
Seção
XII Simpósio em Estudos Farmacêuticos