A ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NA ASSISTÊNCIA PRE-NATAL NO ÂMBITO DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

UMA REVISÃO DA LITERATURA

  • Meillyne Alves dos REIS
  • Ana Paula BORGES
  • Laís Alves SOARES
Palavras-chave: Pré-natal. Cuidados de Enfermagem. Estratégia Saúde da Família.

Resumo

INTRODUÇÃO: O pré-natal (PN) é uma assistência prestada às mulheres durante o seu ciclo gravídico, em sua maioria é realizado por um profissional enfermeiro capacitado a desempenhar diversos procedimentos que visam à integridade materna e neonatal. OBJETIVO: Descrever o processo de trabalho da enfermagem na assistência PN dentro da Estratégia de Saúde da Família (ESF). METODOLOGIA: Revisão integrativa da literatura realizada por meio de artigos indexados na Biblioteca Virtual de Saúde (BVS) e disponíveis em texto completo e originais nas bases de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Scientific Electronic Library Online (Scielo) e BDENF (Bases de Dados em Enfermagem), no período de 2009-2015, no idioma português. Foram utilizados DeCS: Pré-natal, Cuidados de Enfermagem e Estratégia Saúde da Família. Para a análise dos dados adotou-se as recomendações de Mendes et al. (2008), que propõe seis passos para a elaboração de uma boa, eficaz, precisa e relevante revisão integrativa. RESULTADOS: Os dados foram organizados em tabelas, quadros sinópticos, figuras e posteriormente categorizados. Foram incluídos dezoito artigos no presente estudo. Emergiram duas categorias: A importância do PN no período gestacional; e o papel da equipe de enfermagem frente a realização do PN nas ESF. A assistência PN deve iniciar no primeiro trimestre da gravidez, com consulta devidamente planejada para proporcionar acompanhamento efetivo de todo período, sendo assim devem ser realizadas no mínimo uma consulta no primeiro trimestre, duas no segundo e três no terceiro, conforme recomendações do Ministério da Saúde (MS). O PN de baixo risco deve ser realizado na unidade básica de saúde (UBS), que por sua vez, deve ser a porta de entrada preferencial da gestante no sistema de saúde. É o ponto de atenção estratégico para melhor acolher suas necessidades, inclusive proporcionando um acompanhamento longitudinal e continuado, principalmente durante a gravidez. O PN é um período de grande aprendizagem tanto para a gestante quanto para a família, pois durante as consultas e as reuniões em grupo é possível a troca de experiências entre as gestantes, família e equipe de profissionais de saúde, nesse momento grande parte das duvidas são elucidadas, medos são minimizados e a confiança é fortalecida. Dentre os profissionais que compõem a equipe multiprofissional para o atendimento, o enfermeiro (a) é o responsável por realizar ações educativas para a gestante e sua família, acompanhar gestação de baixo risco, salientar exames de rotina e orientar tratamento de acordo com o protocolo da instituição, além de coletar exame citopatólogico. CONCLUSÃO: É possível visualizar que apesar da cobertura ser ampla, ainda há um déficit de profissionais capacitados nas redes de saúde, sendo bem inferior ao número ideal, dessa forma o atendimento e a boa qualidade no PN fica comprometida. É importante destacar que o profissional de saúde deve acolher às gestantes de forma holística proporcionando-lhe momento agradável de aprendizagem. É imprescindível que o enfermeiro deve priorizar a construção do laço enfermeiro-paciente, para facilitar o exercício da educação em saúde, o olhar humanístico junto as gestantes, e a promoção do autocuidado ao binômio ou trinômio.

Referências

BRASIL. MS. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Caderno de Atenção Básica Nº 32. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

MENDES, K. D. S. Et al. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v.17, n.4, p. 758-64, out-dez, 2008. Disponível em: Acesso em: 24 maio 2015.

COSTA, C.S.C et al. Características do atendimento pré-natal na Rede Básica de Saúde. Revista Eletrônica de Enfermagem, Goiânia, v. 15, n. 2, p. 516-22, jun. 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 dez. 2015.

CORREA, M.D et al;. Evaluation of prenatal care in unit with family health strategy. Rev. esc. enferm. USP, vl.48, n.spe, p.23-31, 2014, Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2016.

HANDELL, I.B.S et al; Avaliação da assistência pré-natal em unidades selecionadas de Saúde da Família de município do Centro-Oeste brasileiro, 2008-2009.Epidemiol. Serv. Saúde, v.23, n.1, p.101-110, 2014. Disponível em . Acesso em: 12 jan. 2016.
Publicado
2019-01-07
Seção
II Simpósio de Produção Científica do Curso de Enfermagem da UniEVANGÉLICA