ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DE USUÁRIOS NA QUALIDADE DA ASSISTÊNCIA

  • Najla Maria Carvalho de SOUZA
  • Sheila Mara PEDROSA
  • Luzia Gomes de BANDEIRA
  • Rayssa Franciele da CUNHA
Palavras-chave: Estratégia Saúde da Família. Satisfação de usuários. Enfermagem.

Resumo

INTRODUÇÃO: A Estratégia de Saúde da Família é a porta de entrada do usuário ao Sistema Único de Saúde. Na ESF são realizadas ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde do indivíduo e comunidade. Assim em 2017 o Ministério da Saúde reformula a Política Nacional de Atenção Básica – PNAB para ofertar um atendimento de qualidade a sua população adscrita.  OBJETIVO: Descrever a satisfação do usuário mediante a assistência prestada em unidades da ESF em um município do Estado de Goiás. MÉTODO: Estudo descritivo de abordagem qualitativa. Amostra composta por 30 participantes, recrutados de forma aleatória. A coleta de dados foi realizada nos meses de junho e julho/2017, através da entrevista semiestruturada, que foram posteriormente transcritas e analisadas pela técnica de Análise de Conteúdo de Bardin. RESULTADO: A faixa etária variou entre 18 a 73 anos. O tempo de utilização da ESF foi de 2 a 16 anos. Originou-se duas categorias centrais: “Realidade estrutural da ESF” e “Expectativa e satisfação do usuário da ESF em relação à equipe multiprofissional”. A “Realidade estrutural da ESF” foi dividida em duas subcategorias: “Estrutura física, equipamentos e mobiliários” e “Acesso: barreira geográfica e organizacional”. Sobre a estrutura física os participantes afirmaram que é adequada, mas se queixaram quanto a: falta de cobertura na portaria para abrigo do sol e chuva, reformas do teto e precariedade das paredes. Sobre aparelhagem pontuaram a falta de fitas de HGT e toner, instrumentos estragados como a balanças, aparelho de PA e computadores. Quanto aos mobiliários: cadeiras escassas, quebradas e enferrujadas. Referente ao “acesso: barreiras organizacionais e geográficas, na barreira geográfica, as dificuldades foram a distância da residência até a unidade, em alguns pontos não há linhas de ônibus e na barreira organizacional apontaram: dificuldade de agendar consultas, vagas insuficientes para exames, sistema off-line, falta de profissionais. A categoria “Expectativa e satisfação do usuário da ESF em relação à equipe multiprofissional” foi dividida em três subcategorias: “Equipe e relacionamento Interpessoal”, “Prevenção e Promoção de Saúde” e “Expectativa de melhorias”.  Profissionais que mais solucionaram os problemas: enfermeiros e técnicos de enfermagem e em menor escala as secretárias, agentes de saúde e o médico. Quando não solucionam os problemas a equipe oferece orientação e realiza a referência para atendimentos em outros locais. O relacionamento interpessoal com a equipe foi classificado como muito bom, destacando a educação, a disponibilidade e a cordialidade, sobretudo com as enfermeiras. As atividades de prevenção e promoção à saúde realizadas na ESF são: caminhadas, dia do homem, pesagem das crianças, ginástica, hiperdia e dia da gestante, mas, não há adesão por parte dos participantes. As expectativas para melhorias foram:  que não falte medicação, luvas, gazes e toner para impressão das consultas agendadas e o funcionamento de computadores e balanças. CONCLUSÃO: Espera-se que o presente estudo possa fornecer dados para planejamento, implementação de ações e tomadas de decisão no campo da saúde pública visando maior satisfação dos usuários e aumento da qualidade na assistência.

Publicado
2019-01-07
Seção
II Simpósio de Produção Científica do Curso de Enfermagem da UniEVANGÉLICA