ADESÃO DE ACADÊMICOS DE UM CENTRO UNIVERSITÁRIO À ASSISTÊNCIA DE SAÚDE

  • Najla Maria Carvalho de SOUZA
  • Maria Gleidna Soares de SOUSA
Palavras-chave: Saúde do homem. Política Nacional de Atenção Integral a Saúde do Homem. Enfermagem.

Resumo

INTRODUÇÃO: A saúde do homem constitui um assunto em destaque no contexto atual em saúde. Os homens geralmente não tem o hábito de procurar as unidades básicas de saúde para prevenção de doenças e isso resulta na procura dos serviços de urgência e emergência quando a patologia já está instalada, aumentando o risco de adoecimento grave e/ou fatal. OBJETIVO: Analisar a adesão de acadêmicos do sexo masculino de um Centro Universitário à assistência ou tratamento de saúde. MÉTODO: Estudo descritivo de abordagem qualitativa. Participaram 20 acadêmicos do sexo masculino, selecionados por conveniência em um Centro Universitário do Estado de Goiás.  A técnica de coleta de dados foi a entrevista semiestruturada escrita. Para análise de dados foi adotada a técnica de análise de conteúdos (BARDIN, 2011). RESULTADO: Foram encontradas duas categorias: procura e adesão aos serviços de assistência à saúde que compreende a busca dos universitários do sexo masculino pelos serviços de saúde, por meio dessas categorias de análise é possível inferir a demora e a resistência em procurar tais serviços, bem como dificuldades de acesso e atendimento de saúde. Foi encontrada também a falta de conhecimento sobre a PNAISH, que apresenta fatores externos e internos associados às dificuldades e à falta de adesão dos participantes a assistência à saúde. Há de se ressaltar as resistências internas que os impedem de buscar tais serviços, fenômeno complicado pela baixa disponibilidade de serviços de saúde dessa natureza. Verificou-se que os homens raramente procuram ao serviço de saúde e quando o fazem é para tratamento de patologias instaladas, tais como gripes, amigdalites, epigastralgia, hipertensão, hiperlipidemia ou problemas oftalmológicos. O desejo de fazer exames de rotina e check-ups também lidera essa procura. Observou-se que a perspectiva curativa sobressaiu à promoção da saúde. Os empecilhos para procura e adesão a assistência de saúde estavam relacionados à falta de tempo, aos fatores culturais, como a vergonha de mostrar-se frágil diante da enfermidade. A maioria deles desconhecem a disponibilidade e a organização da assistência à saúde do homem no país, ouseja nem sabem da existência da PNAISH. CONCLUSÃO: Há necessidade da criação de estratégias eficazes para sensibilização de homens sobre a importância da promoção de sua própria saúde, bem como a facilitação do engajamento desses na Rede de Atenção à Saúde, vinculação às instituições e o preparo para o autocuidado. O presente estudo encontrou dados que corroboram com diversos outros estudos na área, apontando novos problemas a serem investigados. Instigando a reflexão e busca de soluções para saúde do homem, principalmente aquelas voltadas para conscientização e participação da população masculina em programas de promoção da saúde e da qualidade de vida.

Publicado
2019-01-07
Seção
II Simpósio de Produção Científica do Curso de Enfermagem da UniEVANGÉLICA