A AULA EXPOSITIVA DIALOGADA

  • Geraldo José de Oliveira
  • Evelin Soares de Oliveira Martins
  • Larissa Santana Arantes Elias Alves
  • Lucimar Pinheiro Rosseto
  • Cyntia Rodrigues de Araújo Estrela
  • Mário Ferreira Serra
Palavras-chave: Educação em Odontologia. Educação superior. Educação em saúde.

Resumo

O professor com apropriada formação docente deve fazer um diagnóstico dos alunos e buscar as melhores estratégias de ensino para facilitar a recepção dos conteúdos por parte dos educandos. Igualmente, os estudantes devem ser informados e ter em mente que as leis de aprendizagem incluem a predisposição, o exercício e o reforço. Frente ao entendimento de que o raciocínio lógico de qualquer conteúdo favorece a interpretação e a aprendizagem de forma mais efetiva, uma estratégia bem desenvolvida tem por obrigação permitir aos docentes e educandos uma perfeita interação para as habilidades afins. A aula expositiva dialogada como retomada de conteúdos de disciplinas da área básica do curso de Odontologia apresenta seu espaço assegurado na sala de aula contemporânea. Como outras estratégias, o aluno deve sempre representar o alvo principal da aprendizagem para os novos conhecimentos. O cuidado é para que consecutivamente haja prioridade e respeito ao diálogo entre o docente e os discentes, capaz de permitir uma interatividade, e longe de estar restrita ao tradicional monólogo em que somente o docente é o dono particular da verdade e do conhecimento, enquanto que o aluno torna-se o receptor passivo de conteúdos disformes de suas indigências. Um apropriado diagnóstico dos alunos e um planejamento com desenvolvimento estruturado permite a aula expositiva alcançar seus objetivos.

 

Publicado
2019-01-10
Seção
XI Seminário de Saberes e Práticas Docentes do Curso de Odontologia