O AMOR NA TERAPIA COMPORTAMENTAL COMO ESTRATÉGIA DA RELAÇÃO TERAPÊUTICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

  • Lorena Carvalho
  • Artur Vandré Pitanga
Palavras-chave: terapia comportamental, terapias contextuais, relação terapêutica

Resumo

Este artigo teve como objetivo investigar sobre como os sentimentos da terapeuta, oriundos da
relação terapêutica, puderam contribuir para análises funcionais, percepção da interação com a
paciente, levantamento de hipótese, formulação de perguntas e o alcance de objetivos na terapia
comportamental. Trata-se de uma pesquisa que apresenta um relato de experiência clínico, de
cunho qualitativo e exploratório. A pesquisa realizou-se na clínica escola do Centro Universitário
UniEVANGÉLICA, através das sessões de psicoterapia da terapeuta com uma paciente, com
duração de cinquenta minutos. Os procedimentos realizados incluem a análise funcional das
contingências da vida da paciente, utilizando a abordagem comportamental com foco nas terapias
contextuais. Foram utilizadas técnicas vivenciais, questionário de valores, fichas de regulação
emocional, questionamentos reflexivos, metáforas, escuta atenta, interação reforçadora e
descrição dos sentimentos da terapeuta em cada sessão. A terapeuta vivenciou sentimentos de
medo, receio, amor, compaixão e empatia pela paciente durante as sessões, compreendendo
como a paciente é capaz de estabelecer conexão e vivenciar sentimentos e memórias aversivas.
A paciente apresentou melhoras significativas em determinados aspectos, como a conexão
emocional com a terapeuta, contato com sentimentos e memórias aversivas, comparecimento às
sessões e engajamento no processo terapêutico. Ainda, apresentou novos repertórios
comportamentais, apresentando desejo de ser mais ativa na sociedade. Pode-se notar que as
atitudes da terapeuta.

Referências

BARBOSA, L. M..; MURTA, S. G., Terapia de aceitação e compromisso: história,
fundamentos, modelo e evidências. Revista Brasileira de Terapia
Comportamental e Cognitiva, 16(3), 34-49. Brasília-DF, 2014.

FINGER, I. R. Terapia de aceitação e compromisso. X Congresso Brasileiro de
Terapias Cognitivas. Porto de Galinhas, Pernambuco, Brasil, C749, 2015.

HAYES, S. C. Climbing our hills: A beginning conversation on the comparison of
Acceptance and Commitment Therapy and traditional Cognitive Behavioral Therapy.
Clinical Psychology: Science and Practice, 15, 286–295, 2008.

HOLMAN, G. et al. Functional analytic psychotherapy. A Practical Guide to
Therapeutic Relationships, Oakland, CA: Made Simple, 2017.

TSAI, M.; KOHLENBERG, R. J.; CALLAGHAN, G. M. The Use of Awareness,
Courage, Therapeutic Love, and Behavioral Interpretation in Functional Analytic
Psychotherapy. American Psychological Association, 50(3), 366-370. DOI:
10.1037/a0031942, 2013.
Publicado
2019-01-17