Dispositivo para Imersão de Deficientes Físicos em Piscina

  • Raniere de Oliveira Veiga
  • Yan Michel Gomes Vieira Centro Universitário de Anápolis UniEvangélica
  • Ney Braga Rocha Pinto
Palavras-chave: Deficientes Físicos, Dispositivo para imersão, Ambientes Aquáticos, Plataformas

Resumo

Atualmente o mundo está cada vez mais se adaptando para as necessidades de acessibilidade com relação a portadores de necessidades, idosos, gestantes e outros indivíduos com alguma dificuldade de locomoção. Recentemente uma das questões mais discutidas nos termos que se refere à acessibilidade da locomoção e inserção de pessoas em ambientes aquáticos[1]. Para um portador de necessidades de locomoção, sejam cadeirantes, idoso, gestantes entre outros, que queira fazer algum exercício físico em ambiente aquático, o principal item de acessibilidade é à entrada da piscina pelo meio de escadas ou rampas de acessos. Para facilitar o acesso e segurança ao usuário, uma opção que pode destacar, são os elevadores ou plataformas[2]. Tendo como proposta projetar um dispositivo móvel de baixo custo que atenda a necessidade de um deficiente físico, idoso, entre outros, sem a necessidade de haver pessoas alocando-o manualmente na piscina, eliminado o risco de acidentes quanto para portador de necessidade quanto para o indivíduo que o transporta,  demonstrando através de referências bibliográficas quais os tipos de aços, e materiais no qual o equipamento será composto, definir qual melhor motor ou servo motor dos demais tipos que possa atender as necessidades do projeto, calcular momento, forças, tensões exercidas na estrutura e cargas externas, representar dispositivos e equipamentos que farão a composição do equipamento, elaborar desenho esquemático de como será a estrutura do dispositivo, com detalhamento de cada parte e seu funcionamento. Não haverá construção de protótipo, porém será realizado simulações em softwares SolidWorks da empresa Dassault Systèmes S.A,onde será utilizado para desenhar a estrutura metálica e Metálicas 3D pertencente a MULTIPLUS, onde será utilizado para descobrir qual ponto da estrutura está mais frágil ou propício a ser danificado pelas forças atuantes na estrutura. Decorrente do projeto, espera-se que tenha sido desenvolvido um mecanismo que possa locomover de forma eficiente, mesmo que de maneira teórica, um deficiente físico em seu ambiente aquático, com o mínimo de esforço físico por parte dos auxiliares ou professores na hora das atividades físicas ou fisioterapias, proporcionando uma maior segurança tanto para os auxiliares e professores, quanto para o deficiente utilizador do dispositivo[3].

 

Publicado
2019-01-22
Seção
XIX SITES - Engenharias de Computação e de Software