APROVEITAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS NA CONSTRUÇÃO CIVIL

  • Jeanisson Cesar Mariano Silva
  • Júlia Ferreira Pimenta
  • Tales Henrique Ferreira Faculdade Evangélica de Goianésia
Palavras-chave: Dimensionamento, Reservatórios, Viabilidade

Resumo

A água é o recurso mais importante para a manutenção da vida e está relacionada à várias atividades humanas, dentre elas a construção civil (SILVA & SANTANA, 2014).  A falta de água tem fomentado pesquisas acerca de meios de reaproveitamento da mesma e até o aproveitamento de água da chuva (SILVA & SANTANA, 2014). Essa água coletada pode ser utilizada em diversas atividades como limpeza de banheiros, limpeza de equipamentos e do ambiente (OLIVEIRA et al, 2016). O sistema de captação se dá por meio de calhas, canalizações, filtros e reservatórios. No Brasil, existe uma norma regulamentadora que guia o dimensionamento de reservatórios, a NBR 15 527. Essa norma apresenta alguns métodos de cálculo para o dimensionamento de reservatórios, levando em consideração a pluviosidade, a área de coleta e o coeficiente de escoamento da superfície. O modelo para aplicação de um sistema de aproveitamento de água foi uma residência unifamiliar de quatro pessoas e as atividades escolhidas para serem supridas pelo sistema foram a descarga do vaso sanitário, rega de jardim e lavagem de carro e calçadas, que somadas resultaram numa demanda de consumo de 7000 litros por mês. Após a coleta dos índices pluviométricos da região escolhida e o cálculo da área de coleta, levando em consideração a inclinação do telhado, foi possível determinar o volume bem como as épocas de estiagem e de chuva da região. Tendo a previsão do início das temporadas de chuvas e estiagem, foi escolhido o volume a ser guardado pelo reservatório a fim de durar o máximo possível durante o tempo de estiagem (como base de levantamento inicial considerou-se três meses), estipulado em 21000 litros. Para o dimensionamento foram escolhidos os Métodos da Simulação e Prático Inglês, e após os cálculos observou-se que o resultado apresentado no Método da Simulação é mais próximo à realidade da região, já que o Prático Inglês foi desenvolvido na Inglaterra e o clima do país origem é diferente da região escolhida para o dimensionamento. Encontrado o volume do reservatório, optou-se por dividir este volume entre um reservatório inferior com um volume 15000 litros e um superior de 5000 litros. Foi elaborado um orçamento contendo todas as etapas de implementação deste sistema (desde a instalação das calhas até as manutenções necessárias pós-materialização). Utilizando as tarifas cobradas pela concessionária da região referentes ao consumo médio estimado por uma família de quatro pessoas, foi possível calcular o tempo de retorno do investimento. Porém este tempo de payback é cerca de 37 anos, o que representa a necessidade de otimizar a implementação do sistema no que concerne ao investimento inicial. Outros estudos serão necessários, pois a comprovação de que é possível e real a preservação e uso correto dos recursos naturais tornam este estudo com um viés que vai além da viabilidade econômica inicial, abrange um potencial com retorno imediato da responsabilidade ambiental. Inclusive sendo possível reduzir as enchentes provocadas pelo processo de urbanização indevida, principalmente na falta de permeabilidade do solo nas edificações.

Referências

SILVA, M.A; SANTANA, C.G; REUSO DE ÁGUA: possibilidades da redução de disperdício nas atividades domésticas. Revista do CEDS, n.1, 2014.
OLIVEIRA, J. P. G; SILVA, L. C; FERNANDES, F. Da S ; PAZ, L. A. F da; Reúso da água da chuva na produção de blocos de concreto não estrutural. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, v. 20, p. 487-496, 2016.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15.527: ÁGUA DE CHUVA – APROVEITAMENTO DE COBERTURAS EM ÁREAS URBANAS PARA FINS NÃO POTÁVEIS – REQUISITOS. p.8.2007.
Publicado
2019-01-22
Seção
LACEC Liga Acadêmica Científica de Engenharia Civil