Protótipo e funcionamento de uma máquina de fundição centrífuga horizontal

  • João Vitor Carcute Gonçalves Alves Centro Universitário de Anápolis - UniEVANGÉLICA
  • Gabriel Aires Honorato
  • Lucas Dantas de Oliveira
  • Leandro Francielle
Palavras-chave: Fundição Centrífuga; Protótipo; Caracterização.

Resumo

O processo de fundição centrífuga, apesar de ser classificado como uma fundição tradicional é pouco conhecido. A montagem de um protótipo de máquina de fundição centrífuga horizontal é feita de forma empírica, baseada na didática de livros e artigos que tratam a respeito de tal tecnologia. A máquina se baseia nas máquinas de fundição centrifuga horizontal que são, geralmente, os modelos mais comuns do mercado e permitem desprezar o efeito da gravidade na produção de peças. O princípio de funcionamento desse aparato é simples – Temos um motor que gira um eixo com duas polias que transmite uma velocidade constante para outras duas polias ligadas a outro eixo. O molde da peça desejada é então colocado em cima e entre os eixos. As polias servem como guia também, evitando que o molde se movimente livremente pelos eixos. Cada eixo possui um mancal em suas extremidades e toda a estrutura está fixada em um suporte metálico para evitar vibrações. A preocupação principal desse método é a velocidade em que o molde rotaciona para produzir a peça. A velocidade é um fator importante para determinar a espessura da peça criada e sua densidade. Para isso, calculou-se o fator-G (a razão entre a força centrifuga e o peso) para estabelecer a espessura da fabricação da peça estudada. Como a velocidade do motor do aparelho é fixa, controlamos a quantidade de volume de parafina liquida para o molde para, dessa forma, ter uma espessura desejada.

Referências

[1] GROOVER, Mikell P. Introdução aos Processos de Fabricação. LTC, 05/2014.
[2] MARTINS, M.M.M., Estudo do comportamento das ligas de alumínio 6061 e 6082, Universidade de Aveiro, Departamento de Engenharia Cerâmica e do Vidro, 2008.
[3] https://www.cimm.com.br/portal/material_didatico/6558-teste-de-dureza-brinell#.Wwss2UgvxEY
[4] http://ftp.demec.ufpr.br/disciplinas/EngMec_NOTURNO/TM336/durezabrinell.pdf
Publicado
2019-01-18
Seção
III SINACEN - Simpósio Nacional de Ciências e Engenharias